Programa CI Brasil

Fruto de uma ação conjunta entre o governo federal, empresas e o setor acadêmico, o Programa CI Brasil tem como objetivo desenvolver um ecossistema em microeletrônica, capaz de inserir o país no cenário internacional de semicondutores.

Aprovado em 15 de junho de 2005 pelo Comitê da Área de Tecnologia da Informação (CATI), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o CI Brasil integra o Programa Nacional de Microeletrônica - PNM Design, considerado prioritário na área de informática e automação nacional.

Sua importância destaca-se pelo significativo aumento na utilização de semicondutores em diversos setores da economia mundial, tornando a demanda por Circuitos Integrados (Cis) uma questão estratégica para o equilíbrio da balança comercial e independência tecnológica do país.

A fim de atingir seus objetivos, o CI Brasil estabeleceu três principais eixos de ações aos quais correspondem, respectivamente, três estratégias. Embora desenvolvidas em paralelo, essas ações atuam de forma integrada. Desta forma, os projetistas formados pelos CTs passam a atuar nas Design Houses que, por sua vez, tornam-se capazes de atender à demanda do mercado, alimentando o ecossistema de semicondutores no Brasil.

Estratégia de Ação do CI Brasil

Eixo Estratégia
Incentivar a atividade econômica na área de projetos de Circuitos Integrados (CIs). Apoia, a partir de 2005, a criação e desenvolvimento de 20 Design Houses distribuídas por todo o território nacional. 
Expandir a formação de projetistas de Circuitos Integrados (CIs). É criada, em 2008, em parceria com a Cadence Design Systems, o Programa Nacional de Formação de Projetistas de Circuitos Integrados, com dois Centros de Treinamento (CT1 e CT2) que, desde então, já formaram mais de 500 projetistas em CI. 
Promover a criação de uma indústria nacional de semicondutores A empresa Toshiba Microelectronics decide estabelecer sua DH no Brasil;

Em 2012, o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada, conhecido por CEITEC,  passa a operar em Porto Alegre, Rio Grande do Sul;

A Micron HT (joint venture entre a empresa sul-coreana Hana Micron Co e um consórcio brasileiro), conduz o projeto de instalação de uma nova fábrica de semicondutores, no Vale dos Sinos, Rio Grande do Sul.

















Legislação Específica